Proteção de áreas naturais

Outra grande preocupação de São Paulo é com a preservação de suas áreas naturais. Por essa razão, o estado possui 30 parques estaduais, 16 estações ecológicas, 18 estações experimentais, 15 florestas preservadas, dois hortos e dois viveiros florestais. É também por isso que o estado de São Paulo detém o maior e mais importante conjunto de remanescentes de Mata Atlântica (floresta nativa) de todo o país, com centenas de milhares de hectares distribuídos em múltiplos parques estaduais.

Entre eles, destaca-se o Parque Estadual da Serra do Mar, com mais de 300 mil hectares. Suas montanhas, florestas e cachoeiras que se debruçam sobre praias e ilhas não apenas compõem uma bela paisagem, como também abrigam várias espécies da flora e fauna nativas. Entre as ilhas protegidas, destaca-se a de São Sebastião, a maior das ilhas marítimas brasileiras que tem mais de 80% de seu território preservado pelo Parque Estadual de Ilhabela.

No litoral sul, região do Vale do Rio Ribeira de Iguape, situam-se a Estação Ecológica da Jureia, extenso trecho da Serra do Mar integralmente preservado, e o Parque Estadual do Alto Ribeira, que abriga magnífica concentração de cavernas calcáreas, entre as mais belas do país.

Outra frente de atuação governamental no campo ambiental relaciona-se com a vigilância e fiscalização da entrada e da comercialização de madeira no estado de São Paulo, o que o tornou o primeiro estado não-amazônico a adotar medidas dessa natureza. Há também a Política Estadual de Pagamento por Serviços Ambientais, cujo objetivo é incentivar a manutenção e a ampliação da oferta de serviços ecossistêmicos.

Com tais iniciativas, o estado de São Paulo, o mais industrializado do país, tem conseguido ampliar sua cobertura vegetal. O estado conta hoje com mais de 4 milhões de hectares de florestas, correspondendo a 18% de sua superfície. Até 2020, a meta é atingir 20% do território com cobertura vegetal.

Saiba mais:
Secretaria de Meio Ambiente (link)